Mindfulness

Mindfulness é uma tradução da palavra sati, proveniente da língua páli – um dos idiomas nos quais o discurso de Buda foi escrito, há cerca de 2500 anos. Ela é habitualmente traduzida como “atenção plena” ou “consciência plena”. Mindfulnees descreve uma capacidade humana inata, que foi sendo “esquecida” por nosso cérebro e é pouco utilizada hoje em dia. Atualmente, o habitual é realizar várias tarefas ao mesmo tempo, sendo exemplos: comer assistindo televisão ou escutar música enquanto praticamos algum esporte. Esses hábitos nos levam a desatenção, e o aumento desta está preocupante.

Mindfulness não significa meditação, como se pensa erroneamente; é um estado da mente humana, descrita por tradições religiosas e presente nos indivíduos, em maior ou menor intensidade. A meditação é uma das técnicas mais utilizadas para se obter essa característica, mas não é o mesmo que Mindfulness. Uma boa definição para Mindfulness é: capacidade de estar atento, no momento presente e de maneira intencional, com aceitação e sem julgamentos.

Existe, infelizmente, um entendimento de que Mindfulness é “deixar a mente em branco”; a mente sempre produzirá pensamentos. O objetivo é fazer-se consciente do processo do pensamento e das emoções, porém sem deixar de pensar ou sentir; as emoções se regulam ao fazermos conscientes de como surgem e ao não reagirmos a elas.

E por que devemos praticar?

A eficácia já foi comprovada em diversos âmbitos, vamos a alguns:

  • SAÚDE: tratamento de doenças fisiológicas (como a dor crônica, as doenças cardiovasculares e o câncer); tratamento de doenças psiquiátricas (por exemplo, depressão, ansiedade, distúrbios alimentares, obsessivos ou de personalidade); prevenção de estresse e de mal-estar psicológico.
  • EDUCAÇÃO: aumento da capacidade de concentração e do rendimento acadêmico; aprimoramento das relações interpessoais; melhor ambiente nas salas de aula.
  • EMPRESARIAL OU LABORAL: redução e prevenção de estresse relacionado ao trabalho e de outros riscos psicossociais; aumento da satisfação no trabalho e melhora do ambiente laboral; maior rendimento no trabalho; melhora da empatia com clientes/pacientes

E como praticar?

Existem várias maneiras, mas vamos dividi-las em “formais”- quando a técnica é feita de uma forma estruturada e disciplinada, com duração mínima de 15 minutos – e “informais”- aquelas nas quais usamos intencionalmente o estado de mindfullness, estando presente e atento nas atividades do dia a dia.

A prática formal mais utilizada é a meditação e é feita, de preferência, na posição sentada, em um local tranquilo com poucos estímulos ambientais; leve a atenção para a respiração e perceba o que surge ao longo da prática, mas lembre-se: pensamentos surgirão, e o importante é nota-los e acolhe-los de uma maneira aberta e sem julgamentos. Já as práticas informais podem ser: escovar os dentes, tomar banho ou lavar os pratos com presença e atenção.

Como Mindfulness pode auxiliar uma pessoa em tratamento homeopático?

Samuel Hahnemann conceitua saúde como “um estado de perfeita harmonia das sensações e funções do organismo físico, na qual o Espírito dotado de razão pode dispor deste instrumento livre e são para atingir os mais altos fins da nossa existência”. De acordo com ele, cada indivíduo tem um papel a cumprir, que transcende os objetivos materiais e comuns da vida.

A Homeopatia pode ajudar a restaurar e a manter a saúde física e mental, no entanto, apesar de desejável, a saúde não deve ser considerada como um fim em si, mas um instrumento para atingir um ideal maior. A busca de objetivos mais elevados para a vida, não só mantém a saúde com evita adoecimentos e desarmonias decorrentes de uma vida rotineira e “morna”, a chamada normose do professor José Hermógenes.

A saúde traz um estado de bem estar e de liberdade que deve e precisa ser utilizada para a transformação do egoísmo infantil em altruísmo adulto, no dizer de Tomás Pablo Paschero.

A meditação e as práticas de mindfulness vêm complementar e ajudar a manter a saúde explorando e desenvolvendo qualidades latentes do Ser, além de combater as más tendências. Favorece a autoconsciência, fornecendo ao Homeopata farto material para um bom tratamento homeopático.

Gostou? Compartilhe!

Sobre o Autor: Rogério Guimarães

Graduação em Medicina pela UNIFOA (Centro Universitário de Volta Redonda- RJ)
Especialista em Homeopatia pela AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira)
Pós-Graduação em Geriatria pelo CIAPE/FELUMA (Centro Interdisciplinar de Apoio ao Envelhecimento/ Fundação Educacional Lucas Machado)
Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais)
Instrutor de Mindfulness em formação pelo NUMI (Núcleo de Mindfulness)
Atualmente, atendimentos em consultório particular e convênios, e ambulatório de Homeopatia no SUS

  • Rogério Guimarães

  • R. Prof. Chafi Ayub Jacob, 114 – Morada da Colina

  • AGENDE SUA CONSULTA