Homeopatia Pediátrica

O maior desafio de todo médico homeopata é encontrar o Simillimum, ou seja, o  medicamento que mais se assemelha ao paciente e que proporciona a cobertura do maior número de sintomas por ele descritos. No caso das crianças, principalmente bebês e pré-escolares, essa pode ser uma tarefa árdua, pois a criança nem sempre consegue responder a todas as perguntas, e o que é dito ao médico pelos pais pode estar revestido de julgamentos e sentimentos.

O objetivo da Homeopatia Pediátrica na abordagem dos pequenos pacientes é entender, observar e analisar seu comportamento, suas expressões, seu modo de se relacionar com a família, e também com desconhecidos, para compreendê-los melhor.

Entender o temperamento, a personalidade e a constituição de cada medicamento homeopático, ou seja, a essência de cada remédio, também torna-se muito importante nessa difícil tarefa que constitui o atendimento do paciente pediátrico na abordagem homeopática. Dessa forma, as seguintes características da criança devem ser observadas de maneira atenta para se chegar ao melhor medicamento:

  1. Sociabilidade: a criança é mais expansiva, extrovertida ou é mais retraída, inibida e evita contatos com estranhos;
  2. Atividade física e mental:  avaliar inquietação física e atividade mental. É possível que haja crianças fisicamente inativas, mas mentalmente muito ativas. E o contrário também é válido.
  3. Agressividade: a criança pode bater, morder, chutar outras pessoas, quebrar brinquedos, o que expressa uma certa agressividade. Pode ser uma reação à raiva que ela sente. Por outro lado, há crianças mais calmas, que lidam com as situações de raiva sem reagir muito, podendo ignorar a situação.

Já as características gerais físicas, também devem ser observadas na busca de individualizar o tratamento. Serão observadas:

  • Características térmicas: a criança tolera melhor o calor ou o frio. Em uma criança que não consegue ainda nos contar como se sentem, observamos a quantidade de calor produzida por ela, pela temperatura de partes de seu corpo, transpiração, dentre outros.

Por fim, observamos o comportamento da criança, se é obediente ou “malcomportado”. Devemos sempre levar em consideração que a obediência pode se dar devido a pais rigorosos, ao fato de a criança ser muito tímida, sensível ou até mesmo por medo de rejeição e abandono.

Uma criança dita malcomportada, na verdade somente está refletindo traços de sua personalidade, na maioria dos casos é do contra, arteira, teimosa (obstinada), desafiadora, rude.

Assim, apresentamos mais detalhadamente quais os pontos importantes a serem observados durante uma consulta de Homeopatia Pediátrica. Os pequemos merecem ser vistos com o coração, para terem um tratamento adequado e eficaz na busca do equilíbrio físico e mental , para viverem com muita saúde essa fase tão importante e mágica da vida.

Gostou? Compartilhe!

Sobre o Autor: Clara Abreu

Clara Abreu de Lima Figueiredo

Graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas-UFPel-RS
Especialista em Homeopatia pela AMHB
Residente em Medicina de Família e Comunidade na Universidade Federal de Uberlândia-UFU-MG
Especialização em Medicina Antroposófica ABMA-CO, em andamento.
Graduação em Ciências Econômicas-UFU
Atendimentos em consultório particular.

  • Clara Abreu de Lima Figueiredo
  • CasaE – Av. Raulino Cotta Pacheco, 284- Osvaldo Rezende

  • AGENDE SUA CONSULTA